Segundo a escritora Simone de Beauvoir, “Não se nasce mulher, torna-se mulher”. Cientes de que o gênero não é apenas um determinismo biológico, e sim construção de toda uma formação cultural e política, a escritora Katarine Araújo se aliou à Cartonera do Mar (editora independente composta apenas por mulheres) para lançar o livro de poesias “Visceral”.

“A ideia de lançar o Visceral veio com mais força quando vim morar no sítio histórico de Olinda, aqui eu produzi muito mais e precisava materializar de alguma forma”, explica a autora que escreve poesias desde 2006, quando tinha apenas 17 anos.


Os livros foram feitos artesanalmente em capas de papelão, pintados e costurados um a um e trazem poesias escritas como o título indica: de maneira visceral, num movimento de palavras livres carregadas de muito sentimento, dando vazão a uma necessidade quase que fisiológica do dizer. Como podemos perceber em algumas pistas entregues no prefácio do livro, “A poeta se doa de corpo e alma à sua obra, intensa, porém sutilmente, despejando o sangue do seu sagrado feminino para ilustrar o livro. Uma maneira de render homenagem a todas as mulheres”.

A Cartonera Do Mar é uma editora cartonera, alternativa à grande indústria editorial, que busca promover e difundir o acesso à leitura. Utilizamos papelão reaproveitado para a publicação de livros artesanais. A produção é toda artesanal, as capas são de papelão, personalizadas, pintadas manualmente e os miolos costurados também à mão.