ao capital

Leave a comment
aprendizagens

Você não sabe nada sobre as tardes que passei deitada em grama verde admirando as nuvens passearem pelo céu vertiginosamente azul. Não sabes o quão sublime é o bailar da copa das árvores na tua ausência. Não sabes o quanto dançam ao sabor do vento. Você nunca vai saber do sal do mar num mergulho durante uma tarde de terça-feira em dezembro, nem saberá a transcendência disso. Você nada sabe sobre receber o sol na pele com beleza e gratidão, você não sabe reconhecer o quanto isso é um privilégio, uma dádiva. Olha, confesso que até admiro a forma honrosa com a qual você afirma não ter tempo pra nada, enquanto acumula dinheiro pra quase tudo. Mas não permito que minha moeda temporal seja o capital. Se tempo é dinheiro, ostentação é admirar a vida com os olhos do deleite.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *