catarse

Leave a comment
coracional

Com o findar e o raiar dos dias, toda sorte de sentimentos eu transformo em poesia. Dor, ódio, paixão e aversão, tudo tudo eu transmuto em ventania. Brisa leve, beijo doce, rancor e nó no peito, tudo é matéria prima pra virar uma emoção. Vem e me lances assim teu desprezo, não sabes a sorte que tenho ao receber de ti teu adeus. Vai virar letra bordada no papel, vai virar rima ou conto,vai encher o coração de alguém e vai encher algum olhar de calor. Mergulho no que sinto, sou e vou! Sigo e digo com a coragem de um mártir, mas engulo o néctar em cada flor, beijo o amargo em cada dor, sou sinto mostro meu ser por inteiro e pelo avesso. Vou dando a cara a tapa mas assumindo o que sou: poesia. Respiro engulo e tusso mas não me adio nem me engasgo com qualquer coisa que sinta. Vivo e sinto e sou só pra ser matéria prima de poesia. Podes fazer doer, podes negar tuas mãos​, só não podes impedir o sol de engolir o céu assim como não podes segurar o furacão da doce fúria que é devolver o que você me der em poesia. Eu transformei a pedra que me atirastes em flor. Esta minha alquimia é minha paixão e me basta. Bates numa face que eu te exibirei a outra e te aplaudirei. De .

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *