Month: Junho 2011

cavalo de tróia

Leave a comment
visceral

Outrora insinuaste ser nocivo à minha paz, Indignada, discordei. Eras tu, minha paz. Hoje proclamo: És essencial a minha paz, Mas não quando te fazes presente, A presença de tua ausência, Tem sido meu presente de paz. O liame entre A paz, ausência e presença, Sutil se faz. Do mesmo modo que Nos perdemos entre o que de fato sentimos E o que nosso imaginário afetivo e poético Nos leva a crer que levamos dentro. […]