Month: Maio 2010

um parto para dentro

Leave a comment
visceral

Que volte a ser só alma a energia que este corpo encasula que fuja deste mundo posto que o homem constituiu só de matéria inútil necessidades e comportamentos vãos. Que volte a ser só alma devolvo ao titular que a esta matéria emprestou-me. Sem desdém, meu senhor, é que sinceramente, a mim não agradou. Que volte a ser só alma deixando de ser só RG, CPF e título de eleitor deixando eu de ser pai, […]

eu lírico

Leave a comment
visceral

(Para Erickson Luna) Ernesto Luna nasceu de um poema De um poema bêbado e revolucionário Filho do ventre do mundo e do sangue Parido da cachaça e das palavras sem voz Filho da lama e da poesia marginal. Ernesto guerrilheiro da saudade poeta metropolitano e do caos armado de rimas de versos soltos com a alma cheia de cantos do amor e da lama de prazer, e de dor Ernesto bebe da nascente do mundo: […]