Month: Outubro 2008

insana noite insone

Leave a comment
visceral

O que você desenha é a trilha que eu sigo. E o que teus olhos vêem é o meu umbigo. Minha meta te aperta. O que teus lábios dizem são minhas tuas palavras. O que entra em tua voz é o meu ouvido. O que há em tua unha é a nua e crua carne minha. E o que tenho em minhas mãos são fibras tuas. Minha saliva já habita a tua boca. Um botão […]

lia

Leave a comment
visceral

Lia lia seu olhar nos vidros em cacos e em dores já doídas de doer. Ninguém lia a dor de Lia, e ninguém sabia que ela sofria muito além do que podia. Lia sofria por todos que nem mais sabiam o que era a dor, de tão calejados eram os corações. Mas ninguém lia a dor de Lia. Lia só chorava de dia e em dia que chovia. E era por isso que ninguém percebia […]